Quarta, 18 de Setembro de 2019
Procurador chama salário de R$ 24 mil de ‘miserê’
11/09/2019 as 16:00 | Brasil | Da Redaçao
Funcionário público, um procurador de Minas Gerais tem gerado controvérsia desde que um áudio de sua indignação pelos cortes orçamentários se tornou público, na segunda-feira (9). No áudio, o procurador Leonardo Azeredo dos Santos considera se tornar "pedinte" em virtude da diminuição no seu estilo de vida e pede aumento.

Com salário de R$ 24 mil líquido, Leonardo Azeredo dos Santos participava de um reunião orçamentária para o ano que vem do Ministério Público de Minas Gerais quando "desabafou" sobre estar deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito para R$ 8 mil e que, por não ter origem humilde, não está acostumado com tanta limitação. Ele questiona até quando os procuradores terão que ficar nesse "miserê".

"Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? Eu, de qualquer forma, já estou baixando meu padrão de vida bruscamente, mas eu vou sobreviver. Eu, infelizmente, não tenho origem humilde. Eu não sou acostumado com tanta limitação. Eu quero saber se, ano que vem, nós vamos continuar nessa situação ou se Vossa Excelência já planeja alguma coisa, dentro da sua criatividade, para melhorar a nossa situação. Ou se nós vamos ficar nesse "miserê" aí. O senhor me desculpe o desabafo, mas olha, eu estou fazendo a minha parte. Eu estou deixando de gastar R$ 20 mil de cartão de crédito e estou passando a gastar R$ 8 mil para poder viver com os meus R$ 24 mil. Nós vamos virar pedintes quase?", afirma Leonardo Azeredo dos Santos, nos áudios.

Em nota, o Ministério Público de Minas Gerais reiterou que vem tomando medidas de austeridade para aumentar a eficiência administrativa e reduzir os gastos.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com