Domingo, 22 de Setembro de 2019
Novo dono do Água Viva teria descumprido ítem do edital
06/09/2019 as 18:44 | Fernandópolis | Da Redaçao
Uma petição impetrada na justiça pelo administrador judicial da massa falido do Thermas do Anhanguera, conhecida como Água Viva, denunciou irregularidades na forma de pagamento feita pelo comprador da área após a realização de um leilão online finalizado no último dia 28 de agosto.

Marcos Fontes alegou que o comprador Luiz Carlos Rodrigues teria descumprido item do edital onde mencionava que o pagamento teria que ser à vista, mas não foi o que aconteceu, Luizinho da LC teria apenas sinalizado 25% do valor e optado pelo restante em 30 vezes.

Fontes não deu detalhes da petição inicial ajuizada na 1ª Vara Cível do Fórum de Fernandópolis, tendo como responsável o juiz Marcelo Bonavolontá. Ele se limitou a dar detalhes do caso e se o pedido seria para impugnação da venda ou que o novo comprador efetuasse o pagamento do restante.

Luiz Carlos Rodrigues arrematou o Água Viva pelo valor de R$ 6.187.199,20, usando o apelido de “Visa 1551”. Ele foi procurado pela reportagem via telefone, mas não atendeu a ligação.

No site da empresa SP Leilões, havia duas opções de pagamento, ou seja “À vista (não admite utilização de carta de crédito), ou Eventuais opções de propostas condicionais parceladas”.

Mas no edital ficou determinado que “o pagamento do preço do(s) imóvel(is) arrematado(s) deverá ser efetuado no prazo de até 24 (vinte e quatro) horas após o encerramento da praça, através de guia de depósito judicial em favor do Juízo responsável, a qual será enviada ao e-mail cadastrado previamente pelo arrematante”.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com