Terça, 16 de Julho de 2019
PM ignora ameaça do Corinthians e não mudará esquema de segurança
12/04/2019 as 16:45 | Brasil | Da Redaçao
O Batalhão de Choque da Polícia Militar e diretores da Companhia de Engenharia de Trânsito se reuniram nesta sexta-feira (12) com representantes de Corinthians, São Paulo e Federação Paulista de Futebol para informar o esquema de segurança para a primeira partida das finais do Campeonato Paulista, marcada para este domingo (14), no Morumbi.

Durante a semana, o departamento jurídico do Corinthians enviou um ofício à Polícia Militar e à FPF dizendo que se o ônibus com a delegação do clube for atacado por torcedores rivais na chegada ao estádio, o time comandado por Fábio Carille não entrará em campo.

Apesar da ameaça, Major Ricardo Xavier, responsável pela segurança nos estádios, informou que o planejamento será o mesmo de qualquer clássico disputado na capital paulista: “O posicionamento da diretoria do Corinthians não muda nenhum contexto. Vamos executar o que foi planejado. Dar o tratamento independentemente de qualquer declaração”, disse.

Ainda de acordo com o representante da PM, o número de policiais que farão a segurança nos arredores do Morumbi ainda não foi definido. “É uma informação estratégica que vai depender do cenário. A decisão é do policiamento do momento e não dos clubes. Os clubes informam o horário de saída apenas. Se for viável que cheguem juntos, vai ser assim”, informou.

Nesta sexta, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, reiterou o ofício enviado à PM e à FPF: “Se quebrar o vidro (do ônibus), não vamos entrar em campo, pode dar W.O.”, disse. A declaração foi uma resposta ao comentário do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva, Antonio Olim, que afirmou que o time perderá a partida caso se recuse a jogar.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com