Quarta, 18 de Setembro de 2019
Pra onde eu irei
13/11/2018 as 18:28 | Fernandópolis | Jean Braida
Dias atrás um jovem chamado Bento estava se preparando para ir até um dos grupos de jovens de nossa igreja. Ele trabalha até ás 18h e o grupo tem início ás 20h.

Ele saiu do trabalho por volta das 18h40 e foi para casa. Sua namorada ligou perguntando se ele gostaria que ela preparasse uma macarronada com carne moída, que a dias ele havia pedido.

Chegando em seu apartamento esperou a namorada, porque ele gosta de jantar e depois tomar banho (cada jovem com sua mania).

Ela chegou por volta das 19h20 e perguntou se dava tempo, e ele respondeu que sim, porque estava morrendo de vontade.

Logo, ela preparou e os dois comeram. Em seguida ele tomou banho, colocou uma troca de roupa e chinelo, e partiram rumo ao grupo.

Bento e sua namorada chegaram minutos atrasados, no momento em que na JBL tocava o som “Pra onde eu irei – Morada” e os 23 jovens que lá estavam já adoravam o Senhor, alguns sentados, outros em pé, mas todos concentrados exaltando o nome de Jesus Cristo. Bento ficou em pé, enquanto sua namorada sentou em uma das cadeiras.

Pela segunda vez eles se reuniam em uma praça na periferia da cidade.

O jovem fechou os olhos e rapidamente se conectou em uma atmosfera de paz e adoração. Ele me disse que sempre iniciava sua oração pedindo para que Deus o restaurasse e depois orava pelas pessoas que não gostavam dele, sua família e todos demais necessitados. Mas desta vez foi diferente. Quando Bento iniciara sua oração, ele sentiu uma vontade, na verdade um pedido, uma ordem para que orasse a todo o momento pelas pessoas que sentem excluídas, afastadas de Deus. Isso tocou muito forte em seu coração, e sem entender nada, assim o fez.

Como sempre a adoração daqueles jovens foi fervorosa e contagiante. Logo após, a palavra ministrada naquela noite foi do livro de Daniel falando do “Quarto Homem da Fornalha”, onde o Senhor revelou com todas as letras que, quando temos fé, podemos passar por qualquer situação. Ele sempre estará ao nosso lado, não deixando acontecer absolutamente nada.

Pois bem, quando a pregação estava perto do fim, os jovens foram surpreendidos por uma voz grave dizendo “o que vocês estão fazendo aí? ”, “da onde vocês são? ”, e “Viva o Bolsonaro! ”.

Todos olharam para a direção da voz e viram que do outro lado da praça tinha uma pessoa, um homem. Bento disse que no momento eles perceberam que era um “bêbado”, mas, mesmo assim, deram a devida atenção respondendo às perguntas, até que finalmente o homem perguntou se podia se juntar a eles. Rapidamente foi colocada em cadeira para que ele se sentasse junto aos jovens.

Depois de agradecer, o homem chamado Marcio, disse que tinha 43 anos de idade e era um desviado da igreja. Ele contou que no momento em que os jovens oravam ele estava fumando uma grande pedra de crack. “Era uma ‘rocha’ que dava pra repartir em várias, e era pra eu estar ‘ louco’. Mas isso não aconteceu. Fez o efeito contrário. Estou muito lúcido”, revelou. Marcio disse ainda que tinha carro novo, terras, casa e uma linda família. Mas acabou com tudo. “O dinheiro que eu tinha ‘fumei’ tudo! Arrebentei com tudo. Todos meus irmãos são bem de vida. Meu pai conversa comigo, mas com indiferença. Meu filho me liga apenas para pedir dinheiro e pensão, não pergunta sequer como estou”, revelou. Ao contar sua vida, ele dizia que queria parar, não sabia o que estava acontecendo, porque ele poderia ter ido fumar em uma infinidade de outros lugares, mas estava ali. E o mais incrível ainda é que Marcio ao contar sua história, ele ressaltava capítulos e versículos da Bíblia que muitas pessoas a tempos na igreja, jamais decorou. Ao olhar para um jovem, que estava com a camisa do Corinthians (autografada pelo Marcelinho Carioca), brincou dizendo que também era corinthiano.

Depois de contar sua história, Marcio disse que ainda testemunharia a sua vitória em Cristo e sua música tema será “Escudo – Voz da Verdade”.

Os jovens impactados fizeram uma corrente de oração para aquele homem e posteriormente o convidaram para ir até a igreja. Ele aceitou, mas disse que não tinha roupa para ir. Neste momento aquele jovem que estava com a camisa do Corinthians a tirou e deu de presente para o homem. Um outro jovem foi até sua casa pegou uma caça jeans e também presenteou Marcio.

Como se não bastasse, ao se despedir, aquele homem proferiu palavras proféticas a cada jovem que ali estava, deixando todos impactados com aquele encontro.

Todos, mais uma vez oraram juntos e, se engana que apenas o homem foi ajudado. Pois cada jovem recebeu muito mais daquela ovelha que foi, sem dúvida nenhuma, enviada e usada por Deus. Por isso, temos que ficar atentos, porque Deus, muitas vezes usa os, que para nós são ‘improváveis’, para serem instrumentos do Teu amor e revelação.

No entanto, resta saber se ele foi a igreja. Mas creio que sim.

Luz e paz!



Jean Braida

jeanbraida@hotmail.com

www.facebook.com/JeanBraidaRota78

www.instagram.com/jeanbraida
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com