Quinta, 24 de Janeiro de 2019
Mitos
13/10/2018 as 08:03 | Fernandópolis | Sérgio Piva
MAIS Artigos
Fernandópolis
Fernandópolis
Fernandópolis
Manga com leite é um veneno. Chupar uma manga e beber leite de vaca em seguida pode causar a morte de quem os ingeriu. A combinação desses dois ingredientes age como veneno no organismo humano.

Tomar sorvete no inverno faz muito mal. A ingestão de sorvete no tempo frio provoca a inflamação da garganta, pois além do frio externo no corpo da pessoa, o frio interno, provocado pelo sorvete agride demasiadamente a faringe e as amígdalas.

Elefantes tem pavor de rato. O medo que esses animais criaram pelos ratos está no fato de terem receio de que o roedor entre por suas trombas e os matem asfixiados.

Atirar uma faca em um redemoinho espanta o Saci. Lógico que isso só é possível para quem acredita na lenda do menino travesso, de cor negra, que possui apenas uma perna.

As vacinas causam doenças. Em artigo publicado na prestigiada revista “Lancet”, o médico britânico Andrew Wakefild atrelou a frequência de casos de autismo com a vacina tríplice viral – que protege contra sarampo, rubéola e caxumba – alertando pais e responsáveis sobre o perigo da imunização dos seres humanos.

Estalar os dedos por hábito ou até mesmo para aliviar a ansiedade ou o estresse do dia a dia prejudica as articulações. O som que conhecemos como estalo é o resultado do movimento rápido do líquido sinovial que está dentro da articulação. Esse movimento geralmente traumatiza a articulação e, portanto, ‘engrossa’ os dedos e causa sérios danos aos ligamentos, cartilagens e tendões.

Os comunistas comiam criancinhas. Tanto na China como na extinta União Soviética, houve fomes em massa que deram origem a surtos de canibalismo.

A URSS teve uma grande fome entre 1921 e 1925, após seis anos e meio de disrupção contínua. A I Guerra Mundial, seguida pela Revolução e por uma guerra civil, destruíram a vida normal do país. As secas agravaram a situação, e o Partido usou a fome para obrigar partes da população a aceitar os seus projetos ambiciosos de engenharia social.

As fomes na China comunista não seriam menos terríveis do que as soviéticas. Durante o período que ficou conhecido como o Grande Salto em Frente, entre 1958 e 1961, mudanças radicais na agricultura, não raro inspiradas em ideias absurdas, como as do biólogo soviético Trofim Lysenko, aliaram-se a uma série de catástrofes naturais para causar entre quinze milhões de mortos, segundo as estatísticas oficiais, e trinta e seis milhões, segundo estimativas posteriores de acadêmicos.

O canibalismo não é exclusivo desses dois países, mas é um fenômeno peculiar aos regimes comunistas.

Qualquer formiga pode ser rainha. As formigas são pequenos insetos da ordem dos himenópteros, que pertencem à família dos Formicidae. A formiga rainha é escolhida aleatoriamente dentre as outras do formigueiro, que depende exclusivamente do trabalho daquela para funcionar de acordo com o desejo de todas as outras.

Em tempo. Segundo o Michaelis Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, importante obra de referência brasileira, que renova as possibilidades de estudo, conhecimento e uso da língua portuguesa, em sua versão on-line, esclarece sobre o significado do substantivo masculino “mito”.

Assim, vejamos as significações listadas naquele dicionário que nos ajudam a interpretar e concluir sobre o que resta no conteúdo da palavra “mito”.

“História fantástica de transmissão oral, cujos protagonistas são deuses, semideuses, seres sobrenaturais e heróis que representam simbolicamente fenômenos da natureza, fatos históricos ou aspectos da condição humana.

Uma crença, geralmente desprovida de valor moral ou social, desenvolvida por membros de um grupo, que funciona como suporte para suas ideias ou posições;

Interpretação ingênua e simplificada do mundo e de sua origem. Representação de fatos ou de personagens distanciados dos originais pelo imaginário coletivo ou pela tradição que acabam por aumentá-los ou modificá-los.

Discurso propositalmente poético ou narrativo, cujo objetivo é transmitir uma doutrina, por meio de uma representação simbólica: O mito de Prometeu.

Uma pessoa ou um fato cuja existência, presente na imaginação das pessoas, não pode ser comprovada; ficção.”

Acredite se quiser, mas água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Ou como disse Joseph Goebbels: “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”. Essa verdade sobre a mentira pode ser usada em qualquer situação, direção, posição e por todos os lados.

Sobra-me desejar fome por releituras, ótima interpretação e inflexão, se assim entender, e encerrar citando Joseph Campbell: “Devemos estar dispostos a nos livrar da vida que planejamos para poder viver a vida que nos espera.”

Sérgio Piva

s.piva@hotmail.com
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com