Segunda, 21 de Maio de 2018
ZPEs estão na mira de japoneses e árabes
26/04/2018 as 09:59 | Fernandópolis | DCI
Um dos focos do governo federal tem sido atrair recursos estrangeiros para as Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs) nacionais e as conversas que mais avançaram no último ano foram com empresas do Japão e dos países árabes.

É o que conta a secretária-executiva do Conselho Nacional das ZPEs (CZPE) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), Thaíse Dutra.

Além disso, a representante afirma que, diante da restrição orçamentária do setor público, prefeituras e estados estudam conceder ou transferir a administração dessas áreas industriais para a iniciativa privada.

Em âmbito estadual, essa discussão está ocorrendo nos governos do estado do Rio de Janeiro, com a ZPE de Porto do Açu, e do Acre, com a área industrial em Senador Guiomard.

Na esfera municipal, há debates na prefeitura de Boa Vista, em Roraima, a respeito da ZPE que leva o mesmo nome da cidade, e em Fernandópolis.

O estado do Rio Grande Norte e a prefeitura de Macaíba também avaliam a transferência da ZPE de Macaíba ao setor privado. Uma área de 100 a 150 hectares de uma zona de processamento exige investimento de R$ 50 milhões.

Na próxima semana, representantes do Mdic e das ZPEs de Pecém, no Ceará, e de Uberaba, em Minas Gerais, irão a Dubai, nos Emirados Árabes, para participar de um congresso internacional de zonas francas.

A ideia é dar continuidade às tratativas já iniciadas com empresários árabes para trazer recursos às zonas industriais. O setor de interesse deles é a produção de alimentos, dada a preocupação com a segurança alimentar da população do Oriente Médio, conforme a secretária do Ministério da Indústria, Comércio.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com