Sábado, 20 de Outubro de 2018
O impacto do “Turnover”
20/04/2018 as 07:22 | Fernandópolis | Julio Cesar
“Turnover”, palavra que vem sendo usada com frequência na arte da gestão de pessoas. O termo em inglês pode ter vários significados como: virada, renovação, reversão e rotatividade. Neste artigo resolvi abordar a questão da rotatividade de colaboradores em empresas.Analisando alguns lugares que frequento,pude perceber que na nossa região, tanto em comércios como em empresas há uma grande e frequente troca de colaboradores, por esta razão decidi dissertar sobre alguns pontos importantes a se considerar sobre este tema e como podemos evitá-lo, já que contratar e demitir gera custos altíssimos para empreendimentos em geral.

Como já dito anteriormente o “turnover” gera um impacto financeiro enorme, com acordos e processos trabalhistas, assim como novas contratações, novos treinamentos,o que acaba acarretando também na dificuldade da fidelização de clientes.

Algumas atitudes são a causa deste problema. Podemos citar exemplos como erros no processo seletivo, quando não se contrata com eficiência e dedicação, no perfil do novo colaborador, falta ou má qualidade no treinamento de admissão, e ainda dificuldade com gerentes e gestores que não estão devidamente preparados para receber e liderar os recém-contratados. Além de alguns fatores essenciais que muitos diretores e empresários não se preocupam, mas que são imprescindíveis para a fixação do quadro de colaboradores, como o clima, o ambiente, salários e um plano de carreira.

É importantíssimo na gestão de pessoas trabalhar o clima organizacional, criar um ambiente de harmonia e profissionalismo, aplicar pesquisas internas para resolver problemas, principalmente na questão de relacionamentos. Na admissão é importante o novo colaborador ter conhecimento explícito e objetivo das funções que ele deverá desenvolver, as dificuldades da posição em que será contratado e como a empresa estará disposta a ajudá-lo no dia-a-dia.

Infelizmente aqui no Brasil não há ainda uma cultura de treinamento e reciclagem, toda equipe e toda empresa bem sucedida, exemplos das multinacionais, investem e se preocupam em aperfeiçoar e lapidar seus contratados. Enquanto vivermos na cultura”do vai lá e resolve” não conseguiremos conter o problema do “turnover” e estancar a sangria financeira das empresas. Há de se adquirir o hábito de treinar, reciclar e gerar processos claros e objetivos para que o colaborador sinta-se confortável e motivado, com desejo de dar o seu melhor no trabalho.

Seja em um grande empreendimento ou uma pequena lojinha o empreendedor deve se preocupar com estas mudanças, o mundo vem evoluindo e se não nos atualizarmos ficaremos obsoletos.

Tenha bem definido a identidade do seu empreendimento , bem como sua missão , visão e valores, esteja sempre pronto a fazer um “upgrade”, o espaço para melhorar sempre existirá.

Julio Cesar – Life Coaching
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com