Terça, 11 de Dezembro de 2018
Jô lembra do passado e pede paciência à torcida com atacantes
23/02/2018 as 00:00 | Brasil | Da Redaçao
O Corinthians ainda busca um substituto de Jô, que foi imprescindível na conquista do Campeonato Brasileiro, mas deixou o clube e se transferiu para o Nagoya Grampus, do Japão.

Fábio Carille tentou Kazim e agora insiste com Júnior Dutra, sem sucesso. Com isso a torcida se mostra impaciente e pediu a volta do artilheiro do último campeonato nacional com 18 gols.

Ele receitou paciência à torcida corintiana e lembrou que ele teve um tempo para engrenar no Timão. “Todo mundo tem que ter paciência. Meus primeiros jogos do Paulistão não foi dos melhores. O Fábio Carille me deu tempo, condição física boa. Acredito em um bom ano para o Corinthians. Acredito que é uma questão de tempo”, disse em entrevista exclusiva ao programa Primeiro Tempo, do Bandsports.

“O centroavante tem que ter confiança. Conheço o Kazim, o Júnior Dutra foge um pouco das características de centroavante, mas sabe fazer a função e O Sheik sabe como jogar. Vamos torcer para que dê tudo certo”.

Jô tem a receita de como aliviar a pressão, já que foi criado no Timão e sabe como se dar bem. “O lado psicológico influencia um pouco. No futebol já vivi muitas situações. Pela experiência, receito paciência e trabalhar quietinho Eu já conhecia o Corinthians, entendia como torcedor queria que atuasse. O melhor a fazer é vestir a camisa, correr, batalhar. A confiança vem com o tempo. Não é de um jogo para outro que as coisas melhoram. A torcida vai abraçar e confiança vem aos poucos. Não deixa de treinar, que as coisas vão aparecendo. Acredito no potencial de todos os jogadores tem tudo para fazer um ano maravilhoso”

Volta ao Corinthians

Jô acabou de assinar contrato com a equipe japonesa por três temporadas, mas não descartou a possibilidade de um dia voltar ao Corinthians. “Não posso projetar nada. Se um dia voltar ao Brasil com certeza Corinthians vai ser clube que eu penso, vai ter prioridade, pois quando eu estava desempregado foi o clube que me abriu as portas e , seria injusto se não colocasse como prioridade”

Seleção

Jô ainda tem esperança que Tite possa chama-lo para disputar a Copa do Mundo da Rússia. Mas acha remota a possibilidade. “Na seleção tenho consciência de que ficou mais difícil. Fiz uma escolha. Financeiramente foi bom pra mim e para o Corinthians. Ainda tenho esperança pelo que fiz no ano passado, já que ainda nem começou o campeonato aqui”.

Na expectativa

Jô está ansioso, afinal vai estrear no Campeonato Japonês neste sábado diante do Gamba Osaka, time do técnico Levir Culpi. “A expectativa da torcida é muito grande, pois todos sabem que fui o melhor jogador do Brasileiro e artilheiro e eles querem ver isso. Estou bastante ansioso”.
MAIS LIDAS
É vedada a transcrição de qualquer material parcial ou integral sem autorização prévia da direção
Entre em contato com a gente: (17) 99715-7260 | sugestão de reportagem e departamento comercial: regiaonoroeste@hotmail.com